domingo, 27 de março de 2016

PREOCUPAÇÃO DE MÃE. Pode isso, filho?



Filho, vê se pode uma coisa dessas?
Um dia alguém me falou que ia dar uma tijolada na saudade.
Eu então, retruquei ...
Se você jogar um tijolo na saudade, ela pode morrer, aí, você deixa de semear expectativa.
Sem expectativa, você não espera, não colhe o tão sonhado fruto da esperança.
Ah! Os sonhos, estes, olha, virarão pesadelos.
Deixa também de existir o romance e com este o romantismo.
A poesia coitada, nunca se encontrará com o poeta, e logo não vai rimar.
A lágrima não brota e os olhos secam.
Sem a saudade, as janelas deixam de ter sentido, os ponteiros do relógio, sem utilidade param enferrujados.
O tempo então, coitado, pira, não sabe o que fazer, se para, se voa, se corre, se vai ou se fica.
E as feridas? Com o tempo pirando, ele deixa de ser o médico de todas elas. Ninguém vai ter coragem de dizer, só o tempo cura.
Cuidado, pense bem antes de atirar um tijolo na saudade.


Autor; Edison Rodrigues Paulino – 27/03/2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário