sexta-feira, 11 de setembro de 2015

PREOCUPAÇÃO DE MÃE - UMA NOITE ATRIBULADA - Graças a Deus, o gordo não morreu ontem...



- Bom dia, filho.
- Bom dia, mãe.
- Graças a Deus estamos vivos, quer dizer, continuamos vivos. Que aventura, hem filho!
- É mãe, que aventura e que loucura, estamos vivendo um caos total!
-Filho, quando era mais nova na ocasião que me casei com seu pai, nunca imaginei que viveria dias tão incertos e que a vida seria tão apavorante assim. Seu pai teve sorte, que já se foi, Deus o livrou deste inferno aqui na terra.
- Graças a Deus! Não é assim que a senhora diz?
- É filho, graças a Deus!
- E por falar em morte, quase que o Gordo da padaria da esquina também ia.
- É mãe, como assim?
- Filho, ontem por volta das 10:00 horas da noite, fui ver se o portão estava fechado. Quando me aproximei dele, ouvi vozes que vinham do lado de fora, então parei e fiquei escutando.
- Sabe que fiquei com medo que fossem ladrões querendo pular o muro? Mas, aí, ouvi um deles falando bravo.
- Vou matar aquele gordo hoje. Aquele desgraçado não passa de hoje. Vou furar a barriga dele todinha, até sair aquela banha toda!
- Rapaz, calma. Falou um outro.
- Calma nada, meu. Esse gordo está fazendo a gente de otário. Já passou do limite.
- É rapaz, vai devagar aí. Não dá pra gente matar o cara. Falou um terceiro.
- Como? Vocês estão me gozando? Fizeram um trato com ele, pelas minhas costas?
- Não! Sussurrou bravo, um outro. Sabe quem é esse gordo? Tem ideia de quem ele é?
- Meu, não sei não, quem ele é? Que só eu não sei.
- Olha, conhece o Ferdinando, da revenda de carros?
- Que porra de Ferdinando é esse? Não quero nem saber. O gordo morre hoje, com Ferdinando ou sem Ferdinando. Que é, vocês amarelaram pra este cara? Vai ter morte sim. Eu tô falando.
- Vocês tão é se borrando, é?
- Calma, Esse tal de Ferdinando, manda aqui no bairro, tem até posto de gasolina.
- E olha, todo bandido prá trabalhar aqui, tem que pedir a benção dele, quer dizer, todos trabalham para ele, e se não trabalhar, ele manda matar.
- Ele já sabe que você quer matar o irmão dele.
- Eu? Quem falou que eu quero matar o irmão dele?
- Ora! Você acabou de falar que vai matar o gordo da padaria hoje, e não vai passar de hoje.
- Eu? E quem é esse gordo? Vocês estão ficando loucos? Eu hem? Vocês ficam inventando coisas, depois cai nos ouvidos errados e aí?
- Sai pra lá! Matar o gordo? Não é aquele da padaria? Pois é meu! O cara é meu amigão. Ninguém toca nele!
- Sai pra lá!  Vou embora. Que papo mais doido. Matar o gordo! Tô indo embora. Vou dormir. Fui!
- Tá vendo filho. Graças a Deus, o gordo da padaria não morreu ontem.
- É mãe, graças a Deus, ele não morreu ontem.

Autor: Edison Rodrigues Paulino- 11-09-2015