quinta-feira, 7 de outubro de 2010

QUIETUDE

É  tarde,
bem tarde.
O sol se esconde
cá do seu lado.
A lua pula
e quer atravessar,
escureceu,
anoiteceu.

Os corações
se enluvam
na noite do amor,
do amor
inspirado na lua,
há pouco virgem,
sussurrado
ao ouvido enamorado.

Murmureja sonolenta
a fonte,
desperta pelos
cantores noturnos.
A rua embala
o sono das casas
e, as calçadas
cuidam.


Autor – Edison Rodrigues Paulino

Nenhum comentário:

Postar um comentário